A autoclave vertical faz uma esterilização genial

Na autoclave vertical o processo de esterilização consiste em remover gravitacionalmente o ar dentro dos pacotes e da câmara interna. Para este processo é colocada a água na câmara de forma manual, assim ao injetar vapor na câmara o ar é removido para baixo pelo próprio vapor, e através de uma válvula de drenagem é deslocado para fora. Tendo em conta que todo o processo é lento, isto favorece a presença de ar residual.

Causas de Esterilização Ineficiente

Por hábito, os modelos de autoclave vertical funcionam com temperaturas de 121ºC e 127º, dependendo da quantidade de materialmedical153140650s colocada. O grande problema de todo este processo é o longo tempo que é necessário para esterilizar, assim como o facto de não secar o material após o processo de esterilização.

As falhas na esterilização acontecem devido a vários fatores, nomeadamente eventuais problemas no funcionamento do esterilizador ou erros nas técnicas de autoclavagem.

Os problemas que ocorrem mais vezes durante este processo são os seguintes:

- Carga incorreta: Os pacotes nunca devem ser colocados amontoados uns sobre os outros, nem tocar nas paredes da câmara, além disso, as prateleiras devem estar desocupadas. Devem inserir-se todos os pacotes no esterilizador de modo a que caso ocorra algum derrame, a água escorra para fora e o vapor possa circular entre os pacotes.

- Ar no esterilizador: A presença de ar dentro da câmara interna da autoclave vertical retarda a entrada do vapor dentro dos pacotes, sendo a mistura entre o ar e o vapor menos eficaz e menos esterilizante. Além disso o ar é um mau condutor do calor, o que significa que uma pequena quantidade de ar é suficiente para aumentar consideravelmente o tempo necessário para o pacote a esterilizar. Enquanto as autoclaves horizontais são equipadas com uma válvula de expurgo, a autoclave vertical não possui essa característica.

-Vapor húmido: Esta situação ocorre geralmente no início do ciclo de esterilização reduzindo a capacidade do vapor. Além disso a não secagem do material favorece posteriormente a contaminação dos utensílios pelos microrganismos trazidos pelo ar.

Desinfeção versus Esterilização

O cuidado na limpeza dos materiais de laboratório é fundamental para evitar contaminações e problemas com os resultados em análise. Por isso a esterilização e desinfeção são alguns dos processos mais básicos usados nos laboratórios.

A desinfeção consiste num processo que elimina um grande número de microrganismos presentes nas superfícies dos equipamentos laboratoriais, e é geralmente feita com base no uso de químicos como cloro, hipoclorito de sódio e álcool.

Já a esterilização é um método mais completo e eficaz, para eliminar totalmente todas os microrganismos existentes nos materiais de laboratório. Normalmente é utilizado em autoclave vertical ou horizontal, e desde que realizado corretamente este método elimina todos os vírus, bactérias e fungos existentes. Portanto pode dizer-se que a desinfeção é uma esterilização parcial, e a esterilização elimina totalmente os micróbios.

As autoclaves da Dimor são a melhor opção se pretende ver o seu laboratório livre de bactérias.

Contacte-nos


Imprimir

 

Dimor
Parque Industrial da Junqueira
Rua Entre os Muros, 54 – Armazéns BP/BQ/BR
 
2660-395 S. Julião do Tojal
t: +351 218 166 643
f:+351 218 145 871
e: dimor@dimor.pt

Siga-nos