Aspirador de secreções consegue desobstruir traqueias

O aspirador de secreções é uma ferramenta oriunda da Aeroterapia e bastante necessária para a sucção nas vias respiratórias, ajudando na remoção das secreções mais líquidas ou espessas, quando o paciente não tem capacidade autónoma para expulsar estas substâncias. Entre os vários tipos de aspiração, pode-se destacar a aspiração traqueal, um dos processos mais importantes para assegurar a permeabilidade das vias aéreas e uma melhoria significativa na troca entre oxigénio e dióxido de carbono. 

aspirador de secreções

Saiba mais sobre Aeroterapia com a Dimor 

Como um aspirador de secreções desobstrui a traqueia? 

Devendo ser aplicado por profissionais especializados – nomeadamente por enfermeiros e por fisioterapeutas -, o aspirador de secreções cuida das vias aéreas superiores, que envolvem o nariz, a boca e a orofaringe, na qual se localizam as amígdalas. O mesmo acontece com as vias aéreas inferiores, onde se situa a traqueia.

A necessidade de aspiração traqueal é determinada por uma série de factores: desde a observação visual da acumulação de secreções à presença de ruído no tubo traqueal, passando por uma tosse ineficaz, por uma queda de saturação de oxigénio ou por uma alteração na auscultação dos pulmões.

O primeiro passo numa aspiração de secreções traqueal é informar o paciente sobre cada etapa do procedimento. Como a higiene deve estar sempre em primeiro lugar, é igualmente obrigatório que os profissionais lavem logo as mãos. De seguida, o melhor é avaliar as condições respiratórias do paciente.

Eis outra acção fundamental: realizar uma hiperoxigenação para minimizar a probabilidade de ocorrência de hipoxemia, isto é, de uma baixa concentração de oxigénio no sangue, um dos principais riscos associados à aplicação da aspiração traqueal. 

Peça mais informações sobre aspirador de secreções, através da Dimor

 

Que outros materiais devem ser utilizados, para além do aspirador de secreções?

No decorrer do procedimento, o profissional tem de introduzir o aspirador de secreções no paciente apenas com uma mão, até que se encontre alguma resistência ou ocorra a tosse por estimulação. Após efectuar a aspiração de secreções, deve-se retirar a pouco e pouco o aparelho, realizando-se, ao mesmo tempo, uns movimentos circulares. Este passo não pode ultrapassar os dez segundos.

Finalmente, há casos em que se torna necessário ainda introduzir três a cinco ml de água destilada ou de soro fisiológico. Por outro lado, existem pacientes que sofrem de arritmias cardíacas ou de sangramento, o que torna urgente uma ventilação.

Depois, só falta fazer o último passo: auscultar os pulmões do paciente para que seja possível realizar uma reavaliação das suas condições clínicas e anotar todo o procedimento e as características das secreções aspiradas, como o seu odor, viscosidade, cor, quantidade…

Tal como pôde ser constatado nesta descrição de algumas das mais importantes etapas de uma aspiração de secreções traqueal, no decorrer de todo o procedimento são utilizados outros materiais, para além do aspirador de secreções:

Escolha o aspirador de secreções ideal, contactando a empresa Dimor

Contacte-nos


Imprimir

 

Dimor
Parque Industrial da Junqueira
Rua Entre os Muros, 54 – Armazéns BP/BQ/BR
 
2660-395 S. Julião do Tojal
t: +351 218 166 643
f:+351 218 145 871
e: dimor@dimor.pt

Siga-nos