Autoclave horizontal: como acabar com as bactérias?

A autoclave horizontal é um aparelho que permite esterilizar equipamentos em meio hospitalar, eliminando as bactérias que teimam em permanecer nos objetos utilizados por médicos e enfermeiros no decorrer da sua atividade profissional.

Na autoclave horizontal o ar é removido previamente, com formação de vácuo por meio de uma bomba de vácuo que deve ter uma capacidade suficiente e adequada, dependendo do tamanho da câmara. O vácuo pode ser obtido por meio de formação de um único pulso (alto–vácuo) ou por meio de entradas e saídas de vapor em temperaturas mais baixas que a temperatura do processo. Em média são dados de 3 a 5 pulsos de pressurização, sendo que esta variação depende da potência da bomba de vácuo e da qualidade do vapor.

As autoclaves horizontais operam com temperaturas acima dos 120ºC. O alto-vácuo reduz o tempo necessário para processamento e penetração mais rápida do vapor nos materiais a esterilizar. Os materiais são aquecidos por tempo menor e, consequentemente, os danos aos materiais e tempo de secagem são reduzidos.

Autoclaves horizontais acabam com micróbios em material hospitalar!

A autoclave de laboratório tem como função esterilizar materiais através de calor húmido sob pressão em altas temperaturas,70 podendo estar disposto na forma horizontal ou vertical, vedada por uma tampa fechada hermeticamente, garantindo a pressão interior. Um ciclo completo de esterilização constitui-se basicamente de três etapas: Aquecimento, Esterilização e Secagem, sendo que em alguns modelos de autoclave, o processo pode ocorrer de forma automática, no qual há a indicação do termino do ciclo. A autoclave horizontal e a autoclave vertical podem ser usadas em laboratórios ou na área hospitalar.

Os microrganismos podem ser agentes causadores de infeções. A fim de prevenir e diminuir os riscos de aquisição de infeções, a esterilização permite descontaminar equipamentos e materiais através da destruição de todas as formas de vida microbiana viáveis.

A esterilização a vapor é um dos processos de descontaminação mais utilizados, podendo ser efetuada através de autoclaves verticais e horizontais. Nestes equipamentos, os microrganismos são destruídos pela ação combinada da temperatura, pressão e humidade.

Um estudo comparativo entre as características de autoclaves verticais e horizontais indica que, nas autoclaves verticais, alguns requisitos mínimos exigíveis para esterilização não são completamente atendidos, sendo estas susceptíveis à recontaminação dos materiais esterilizados, pois não efetuam a secagem dos mesmos após o ciclo de esterilização. Embora as autoclaves horizontais sejam mais eficientes, estas apresentam custos elevados quando comparadas às autoclaves verticais.

Saiba mais sobre o processo de esterilização hospitalar, aqui!

O objetivo da esterilização é destruir completamente todos os organismos vivos, incluindo esporos e vírus, os quais podem estar presentes nos materiais a serem esterilizados. O processo deve destruir ou matar todos os microrganismos, pois não existem materiais quase estéreis ou parcialmente estéreis.

As bactérias no seu estado ativo podem ser facilmente destruídas por um método correto de esterilização. A forma esporulada é um mecanismo protetor através do qual a bactéria é capaz de permanecer latente por um grande período de tempo. Neste estado ela pode sobreviver às condições nas quais morreria rapidamente no seu estado ativo. Entretanto, quando estes esporos são colocados novamente numa condição favorável para o seu desenvolvimento, tornam-se bactérias ativas. Para que a esterilização seja um processo absoluto é necessário conhecer o ciclo de vida das bactérias e as condições necessárias à sua destruição.

Consulte a Dimor e saiba o que este equipamento pode fazer pela sua saúde.

Contacte-nos


Imprimir

 

Dimor
Parque Industrial da Junqueira
Rua Entre os Muros, 54 – Armazéns BP/BQ/BR
 
2660-395 S. Julião do Tojal
t: +351 218 166 643
f:+351 218 145 871
e: dimor@dimor.pt

Siga-nos